Resenha: O encontro inesperado, por Zibia Gasparetto

26.1.15

Autor (a): Zibia Gasparetto | Editora: Vida e Consciência | Gênero: Romance Espírita | Páginas: 424 | Skoob

 O encontro inesperado é um livro narrado em terceira pessoa, onde a história gira em torno de 3 famílias que através de algum problema acabam se interligando e achando vários outros problemas, mas que com a união e a fé conseguem superar todas as barreiras e dificuldades. 

 A história começa quando Ivo que é casado com Miriam, decide se separar. A muito tempo Ivo não é mais feliz em seu relacionamento, porém ele nunca se separou porque sua mulher dizia que se mataria caso ele tentasse, e de fato uma vez ela acabou tentando, mas ele correu atrás e veio se mantendo submisso no relacionamento a tempos.

 Uma certa noite, quando Ivo sai de seu serviço (ele trabalha para os pais de sua esposa), ele decide passar em um bar onde ele se reunia com seus amigos quando mais jovem, e lá ele encontra um de seus amigos da época de infância. Conversa vai, conversa vem, quando ele olha para o relógio já passou das 23:00, e acaba indo para casa.

 Ao chegar em casa ele encontra sua mulher em lágrimas na sala, junto aos seus pais. Ao vê-lo, Miriam começa toda a cena de mulher ciumenta, perguntando aonde e com quem Ivo estava. E mesmo ele contando a verdade, ela ainda não acredita e se sente traída. Seus pais também dão o maior sermão em Ivo, alegando que a filha é frágil demais para ficar em casa sozinha.

 É então que Ivo se revolta e no outro dia, decide se separar, danço assim o primeiro passo para uma grande transformação na vida das famílias. 
  Assim como todos os romances espiritas, o livro tem um ensinamento para passar. Só que o que me decepcionou foi a escrita da autora. Eu confesso que eu esperava muito mais da Zíbia nesse livro, pois quem acompanha o blog sabe que eu já li dois livros dela e amei, porém não foi bem assim com este.

 No começo eu peguei um grande desgosto pela Miriam. Gente ela é totalmente ridícula, iludida, e a qualquer problema recorre aos pais, como se eles tivessem a obrigação de concertar os problemas da vida pessoal da filha. No começo eu odiei muito ela porque além disso tudo, ela era ciumenta, e mesmo a verdade de tudo estando na cara dela, ela preferia acreditar que Ivo tinha arrumado outra mulher, porque ela não queria acreditar que ele simplesmente a estava deixando porque o amor tinha acabado.

 Depois de um tempo ela foi melhorando, pois quando seu pai sofre um acidente, ela acaba indo morar na casa de Carlos, Franco e Gisele, três irmãos que são primos de Ivo. Esses três irmãos perderam os pais cedo, e com a ajuda da espiritualidade e com sua fé em Deus, eles conseguiram aos poucos ir ajeitando suas vidas. 

 Uma coisa que eu gostei muito neste livro foi como a Miriam evoluiu. Gente vocês não tem noção do que eu estou dizendo. Vocês sabem o que é uma personagem que no começo do livro é tão egoísta da posto de se suicidar caso o marido a deixe, e no final do livro pedir o divórcio por decisão própria e dar sermão em pessoas que não acreditam em Deus? Ela mudou drasticamente, e até agora é difícil de acreditar. 

 O que me decepcionou MUITO neste livro foram os personagens. Os únicos personagens que eu não odiei foram os três irmãos. Vocês tem noção do que é em meio a mais de 10 personagens eu só ter gostado de três? Isso mesmo, é um absurdo. Eu entendo que a intenção da autora era criar personagens horríveis, descrentes em Deus, que no final acabam mudando pela força de Deus e da espiritualidade. Mas mesmo assim, os personagens são super mau criados. Tem uma hora que eles agem de uma maneira e na outra nem parece o mesmo personagem. Tudo bem que existe acontecimentos para faze-los mudar, mas mesmo assim, fica uma coisa muito surreal. 

 E a última coisa que me incomodou muito neste livro foi a forma como os espíritos foram expostos na história, e a forma simples de como eles possuem as pessoas. Eu compreendo que a possessão é algo possível, mas até onde eu sei, para isso acontecer, tanto o corpo material, quanto o espiritual tem que estar fraco e frágil, e isso não aconteceu em muitos momentos. Era como se o espírito chegasse e falasse "Hum, gostei de você, vou entrar no seu corpo pra me manisfestar e daqui a pouco eu saio, OK?" , e isso ficou muito fictício. Nessas cenas parecia que eu estava lendo um livro de terror, e não um livro espirita. 

 Mas, mesmo com todos estes defeitos não posso dizer que odiei o livro. Para falar a verdade ele tem alguns pontos muito positivos, mas tudo isso não teve muita evidência devido ao péssimo desenvolvimento de personagens, que se sobressaiu à estes aspectos positivos.

Também poderá gostar de

2 comentários

  1. Esse tipo de "gênero" não me interessa muito mas já tive muita vontade de ler algo da Zibia, minha irmã tem alguns livros e gosta bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lara!

      É, geralmente esse gênero não agrada muitas pessoas, e te aconselho a ler outro livro da autora caso o queira ler, pois esse pode não ser uma boa escolha e pode acabar fazendo você não gostar muito da escrita da autora.

      Beijos e obrigado pela visita!

      Excluir