Resenha: O Príncipe dos Canalhas por Loretta Chase

5.6.15

Título: O Príncipe dos Canalhas
Autor (a): Loretta Chase
Editora: Arqueiro
Páginas: 287
ISBN: 9788580413997
 Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent...Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu.Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho.Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.
 O príncipe dos canalhas é um romance de época onde a autora consegue passar toda a essência de um dos contos queridinhos por todos, A bela e a fera. Com um enredo envolvente e intrigante, o livro consegue agradar o leitor a ponto de ele querer muito mais após o fim da leitura.
 Em O príncipe dos Canalhas iremos acompanhar a história de Sebastian Leslie Guy de Ath Ballister, mais conhecido como Lorde Dain. Dain é um homem grande, sem muita beleza se comparado aos outros cavalheiros, e muito arrogante. Dain, quando menino, sofreu muito por causa das atitudes de seu pai, tendo que aprender a se virar sozinho e criando assim, uma "barreira" bem grande que protege o que há de bom dentro dele, fazendo assim ele ser visto como um homem temido, arrogante, e qualquer outros adjetivos negativos que possa se achar no dicionario. 

 Nossa história começa quando Jéssica Trent, irmã de um dos amigos do Dain, vai para Paris para passar uns dias com seu irmão, e assim, fazer o possível para afasta-lo de Dain, o homem que está acabando com tudo o que seu irmão tem, de riquezas até a própria dignidade. Assim que Jessica encontra com Dain pela primeira vez, percebe-se uma surpresa e uma atracão de ambas as partes, mas eles não seguem com esse sentimento, até porque cada um tem seus objetivos, e em nenhum deles se encaixa a opção de se ter um parceiro. 
"Aproveite o dia, não confie no que virá amanhã"
 Logo no primeiro encontro dos dois, Jessica acaba descobrindo uma obra de arte muito valiosa no local onde eles estão, e com isso consegue mostrar para Dain que ela não é só mais uma cabeça de vento como qualquer outra dama. Percebendo a peça valiosa que Dain acabara de perdeu, ele começa uma grande relação de intriga com Jessica, e isso irá resultar em diversos acontecimentos até que finalmente eles irão se casar, mesmo que não tenha amor envolvido. 

 Com o casamento, eles irão se mudar para Londres, onde está a propriedade de Dain e seus ancestrais. Lá eles irão viver diversas aventuras e irão descobrir juntos o que é o amor e que ele está em todo mundo, as vezes tão escondido que chega a ser imperceptível, mas que ainda sim está lá e que uma hora ou outra virá a tona.
 A bela e a Fera é sem dúvidas meu conto clássico favorito, e é com muita felicidade que eu digo que a Loretta conseguiu retratar o conto perfeitamente. Ela conseguiu retratar a Bela e a Fera de uma maneira extremamente real, e o melhor de tudo é que ela também conseguiu trazer para sua história a essência do conto original. O Dain é exatamente a visão sem fantasia que eu via da Fera. Ele é uma pessoa bem rude, extremamente arrogante e insuportavelmente machista. Mas mesmo assim conseguimos nos apaixonar por ele porque logo no prólogo do livro vemos tudo o que ele passou na infância, e isso nos deixa bastante tocados. Já a Jessica foi um pouco mais diferente do que eu via da verdadeira Bela, mas ainda sim eu tenho que admitir que ainda preferi ela do que a Bela do clássico. Numa época onde a sociedade no geral é completamente machista, ela se mostra uma mulher forte e com altas criticas feministas. É uma personagem que está sempre questionando o porque das coisas e sempre tentar ver o que há de melhor nas pessoas. 
"Você me fez desejá-lá. Você fez com que eu me sentisse solitário, apaixonado. Você me fez desejar o que eu jurei que nunca precisaria, que nunca procuraria."
 Sem dúvidas o melhor do livro é a quantidade de intrigas e problemas que a autora consegue criar sem precisar acrescentar algo clichê na história, como por exemplo um triângulo amoroso (mas isso é assunto para um outro post que eu estou planejando). O livro não tem grandes reviravoltas, mas tem vários acontecimentos que muda aos poucos o rumo da história, o que dá super certo. 

 Faltava cerca de 70 páginas para acabar o livro quando a história começa a fluir de uma forma que eu me vi completamente preso na leitura. Eu já tinha certeza de que iria dar 4 estrelas para o livro quando nessas ultimas partes acontecem algumas coisas que me deixaram de boca aberta e que amoleceram meu coração para dar 5 estrelas, haha!

 Enfim, o livro está mais do que recomendado. O trabalho da editora com o livro foi impecável, de forma que não achei se quer um erro ortográfico. Gostando ou não do conto de "A bela e a fera", tenho certeza de que vocês irão gostar deste livro. A autora consegue extrair a essência do conto e criar encima dela uma obra prima que com certeza mereceu o prêmio RITA, como o melhor romance de época. 

Também poderá gostar de

10 comentários

  1. Oi gu!
    Quanto mais eu leio resenhas desse livor, mais eu quero ler.., Já li umas 15 resenhas dele e me arrependo de não ter pedido pra editora, mas quem sabe não acho ele por ai para ler, quem sabe em Ebook! A Arqueiro tá que tá com os lançamentos dela e eu amo romance de época *----*
    Beijos!

    LuMartinho |Face

    ResponderExcluir
  2. Oi Gu, tava ansiosa para ler sua resenha desse livro e pelo visto ele te conquistou. Também me conquistou, pois eu adoro A Bela e a Fera, e se essa história remete ao conto original, com certeza deve ter uma trama interessante. E pelo visto o desfecho também foi surpreendente, pra te fazer dar mais uma estrela. To curiosa agora para saber esse final. E que prêmio RITA é esse? voei... Bjs

    Território nº 6

    ResponderExcluir
  3. Gu, muito amor pelo príncipe dos Canalhas.
    Estou encantada e também acho que a Loretta conseguiu mostrar bem essa visão de Bela e a Fera que é meu clássico preferido.
    Adorei cada intriga e como tudo terminou.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  4. Oi Gu!
    Adorei a resenha. Concordo com tudo que você disse a respeito, e só não dei 5 estrelinhas pela ausência do epílogo. Esteva esperando por um pouco mais de Dain e Jess. Mas a história é mesmo maravilhosa e ja quero ler os demais livros da Loretta!
    Bjos

    http://paraisodasideas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Heey!
    Eu ameei a premissa e o enredo desse livro! Sua resenha está fantástica, estou super ansioso para ler o livro agora hahah
    Seu blog é fascinante, não pude deixar de seguir ^^
    Abraços!
    Blog - Desbravando o Infinito

    ResponderExcluir
  6. Oi Gustavo, eu sou super mega curiosa para ler esse livro, ainda mais que o conto de A Bela e a Fera é o meu preferido! Adorei que esse livro parece incrível, assim como você disse que merece prêmio por melhor romance de época. Com certeza vou atrás dele para ler :D

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com

    ResponderExcluir
  7. Oi oi Gu
    Quem não gosta de A Bela e a Fera? *--*
    Acho esse tipo de história muito envolvente!!!
    Infelizmente ainda não o li, acho muito bom que você deu 5 estrelas.

    Beijoos
    blogmaiscafe.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oi Gu!
    Estou louca para ler esse livro, ainda mais por ele ter essa pegada de A Bela e a Fera (Bela é minha princesa preferida ever!). Ainda mais agora, que você falou que o livro consegue fugir do clichê.

    B-jussss!
    http://www.quemlesabeporque.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá! Nos últimos dias eu tenho visto alguns comentários bem positivos sobre esse livro, o que me deixou bastante curiosa. Ainda não li um romance de época, mas estou querendo começar a conferir obras desse gênero. Talvez eu acrescente este aos meus desejados. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Só vejo comentários positivos sobre esse livro. Mas como a Loretta é uma super autora do gênero, isso não me surpreende.
    Cada resenha que leio me deixa pensando por que eu deixei que a minha colunista ficasse com esse. Vou pedir de volta hahahaha

    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir