O livro é ótimo, mas o protagonista...

17.6.16

 Uma coisa que me faz refletir muito é quando eu leio um livro maravilhoso onde o protagonista é insuportável. Para mim, quem faz a história é o protagonista, e na maioria das vezes, quando o protagonista é ruim, o livro também não é lá essas coisas. 

 Mas aconteceu que ultimamente eu li um livro que me mostrou que isso não é uma regra, e depois, quando parei para analisar a minha estante, percebi que é verdade, pois consegui encontrar quatro livros que eu adorei, mas que os protagonistas me frustaram durante toda a leitura. Vamos conhece-los?
 Vamos começar por uma situação mais comum, aquele protagonista que você até que gosta, mas que te irrita muito. Esse protagonista é definitivamente o Quentin, de Cidades de Papel. Eu confesso que eu adoro o Quentin, e até acho meio injusto coloca-lo nessa lista, mas que ele me irritou muito ele irritou. Até hoje eu o acho um tremendo idiota por ser tão obcecado por uma menina que não da a mínima para ele.

 Mas tenho que dizer que esse é um daqueles casos onde mesmo o protagonista sendo um pouquinho chato e irritante, ele não te impede de gostar do livro, até porque Cidades de Papel é muito mais do que só um adolescente correndo atrás de sua amada.
 Já com Cartas de amor aos mortos não foi tudo tão tranquilo assim. A Laurel foi uma protagonista que eu realmente não suportei do o começo ao fim, e tenho que confessar que mesmo a história sendo interessante e legal, ela me fez não gostar tanto do livro quanto eu pretendia. 

 Como eu li esse livro há algum tempo, eu não posso dizer para vocês muito bem o porque de eu não ter gostado da Laurel, até porque nem eu lembro direito. Só me recordo de não te-la gostado por causa do seu constante drama em relação a tudo que acontecia à sua volta.
 Quando eu digo que não gosto da Clary, eu não estou colocando ela no quesito chatinha mas da para aguentar, mas sim no MORRE LOGO PELO AMOR DE DEUS! Só eu sei o quanto eu passei os seis livros da série desejando a morte dela. E o mais engraçado de tudo é que, mesmo não a suportando, essa conseguiu ser a minha série de livros favorita de toda a vida. 

 E é aqui que eu gostaria de fazer uma pergunta para vocês: até que ponto o protagonista interfere nas suas considerações finais do livro? Para mim não existe uma regra, eu acho que tudo depende do rumo que o autor irá fazer o protagonista tomar, podendo ir para um onde o livro se torna muito mais que o protagonista, e por isso não chega a incomodar tanto o leitor, ou para um onde o protagonista é a base de tudo, então estamos sempre presos a ele, não importa a situação.
 E por último eu tenho o livro que me fez ter a ideia para este post, A garota no trem, um livro onde todos os personagens são insuportáveis, mas que ainda sim consegue ser um puta livro. 

 Como eu citei ali em cima, acho que o fato desse livro ter dado tão certo é o fato de que a autora usou os personagens, e principalmente a protagonista, como a base de tudo, mas não deixou que isso se sobressaísse ao mistério e à trama principal. Durante a minha leitura eu consegui perceber isso, que os personagens eram a chave para tudo, mas que em momento algum a vida pessoal deles e seus dramas tiraram o foco do mistério, pois o leitor os está acompanhando, mas na verdade o que ele realmente está fazendo é tentando buscar piscas e desvendar o mistério.

 Por fim eu cheguei à conclusão de que quem faz o livro não é o protagonista, mas sim as atitudes que o autor irá fazê-lo tomar. Se a trama for deixada de lado ou ofuscada pelo excesso de drama do protagonista, isso pode acabar sim prejudicando o livro no geral. Mas caso contrário, caso o autor saiba dosar bem esses elementos e usa-los como peças para sua história, não importa se o protagonista é ruim ou não, pois no final o que vale é a história e a experiência que foi acompanha-la. 

Também poderá gostar de

18 comentários

  1. Oi Gustavo, concordo plenamente com você, existem muitos livros que eu me lembro que os personagens não são bons, ou pelo menos não me cativaram o suficiente, enquanto que o livro não poderia ser mais maravilhoso. Sua conclusão está mais do que certa!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?

    Aina não li nenhum desses livros, mas a menina de Cartas de Amor aos Mortos todo mundo fala que é um saco. Também odeio quando a história é legal e o protagonista é um porre, acaba atrapalhando a história. Mas confesso que de um tempo pra cá comecei a analisar diferente minhas leituras e os protagonistas das mesmas, o bichinho tem que ser muito chato pra me irritar agora,hahahaha.

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oii!
    Como existem personagens chatos, né?! Nem sempre são insuportáveis, mas algumas vezes completamente sem noção. Conheço alguns personagens que entrariam na minha listinhas!
    Já da sua lista, não posso dizer que concordo sobre Laurel, na verdade eu reconheço que ela é beeem dramática, mas eu me apeguei bastante nela(mesmo que em alguns momentos eu tinha vontade de mata-la).

    Vitória, www.vicio-de-leitura.com

    ResponderExcluir
  4. Oii, tudo bem?
    Eu só li cidades de papel e confesso que me irritei muito com a protagonista, quis chorar de raiva, só não parei de ler porque gostava dos outros personagens hauhauaauah
    Amei a postagem.
    Beijinhoss

    ResponderExcluir
  5. Nossa, adorei seu post! Nunca tinha parado para pensar nisso, hahaha. Mas já havia percebido que, sim, as vezes o protagonista é um saco, mas o livro não deixa de ser bom! E sobre a Clary: rapaz, me abraça, porque essa garota é UÓ. HAHAHAHA. E no meu caso, acho que a Cassidy do livro "O Começo de Tudo" ganhou o posto de insuportável para mim. A garota é muito chata, eu odiei ela do início ao fim e quando chegou no final, eu não sabia se torcia por ter sido como foi, ou se ficava triste pelo protagonista que gostava dela, hahahaha.
    Adorei o post!

    Allie | allieprovier.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Olá, que post mais criativo, amei! Eu só conheço Cidade de Papel e concordo com você. O cara era um tremendo trouxa, por assim dizer. Fora isso, achei ele muito sem graça e sem substância. Se bem que Cidade de Papel não é um dos meus livros favoritos.
    Abraços!
    Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  7. Oi, como vai?

    E cá entre nós o que não falta é gente chata, irritante no nosso dia, ai ainda ter que tolerá-las nos livros é “RINNN” rsrsrs. O que nos leva a decepção é esperar nos personagens o que não encontramos nas pessoas, – bem, eu não tenho mais essas expectativas, mas, já tive, lógico. A meu ver, não devemos idealizar demais os personagens, porque o certo é passar a imagem humana, e sabemos que estamos todos nós sem exceção, longe do perfeito. Portanto, nunca espero que eles sejam somente bonzinhos ou somente malvados, espero que tragam a essência humana, e ai resulta, nos chatos de galochas que tanto gostaríamos de mudar. Tem personagens que irritam, por serem justamente isso, e os outros por serem muito perfeitinhos. Quer saber da verdade? Assim ou assim, nunca ficaremos 100% satisfeitos. Rsrsrs. Parabéns pelo post que por sinal, maravilhoso!

    http://www.cristinadeutsch.org/

    Saudações literárias.
    Beijos no ♥

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Eu já me deparei odiando 128621 protagonistas, mas isso acaba nunca me impedindo de gostar do livro, rs.
    Diferente de você, eu li Cidades de Papel e achei terrível. Não gostei dos personagens, nem da história, nem nada! O filme então, só Jesus. Os Instrumentos mortais eu também não gostei, mas acho que foi mais por ter lido em um mal momento. Mas que a personagem principal é chata pra cacete é verdade, hahaha!
    Os outros livros eu ainda não li, mas quero muito, principalmente "A garota no trem".
    Adorei a postagem!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Hey, Gustavo!
    Você está certíssimo, tem muito livro com histórias ótimas e personagens que são um porre... rsrs.
    E temos algo em comum: eu amei a série Os Instrumentos Mortais, mas odeio a Clary de todo o meu coração. Qe garota insuportável! ahahahaha
    Que bom que não sou só eu que penso assim.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá, muito interessante o seu post, ainda não li nenhum dos livros citados mas já tenho "Cidades de papel". Se eu fosse fazer uma lista do tipo, o narrador de "Quem é você, Alasca?" certamente apareceria.

    ResponderExcluir
  11. Concordo exatamente contigo, tem certos personagens que são exaustivos nos livros, mas que o enredo compensa pela qualidade da escrita e a forma como o autor vai tratar ele, no caso da Clary não sou nem um pouco fã das atitudes dela nos livros, mas o enredo é tão bom que nós esquecemos do ruim, ter esse mundo de baixo dos nossos olhos é uma puta criatividade.
    Em relação aos outros eu não li e também não chegaram a me atrair para uma leitura, por isso e até mesmo por tua recomendação, acho que não leria mesmo.
    Xoxo

    ResponderExcluir
  12. oi ^^
    pow alguns personagens me dão tanta agonia que eu não consigo nem terminar de ler o livro e cara não consigo acompanhar nenhuma série quando odeio demais o personagem principal. fico muito nervosa. XD vc foi forte em ler os instrumentos mortais odiando a clary XD pq né, são seis livros kkk eu já tinha abandonado logo, mas ela pra mim não modifica nada, então de boas! Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  13. Olá tudo bem, realmente um post bem curioso, os livros que vc citou não li nenhum, mas é bem curioso mesmo que eu goste do livro, mas o protagonista é ruim, já li livros assim, e o que salva são os secundários, queria saber por que o autor toma essa decisão. Curioso. bjs

    ResponderExcluir
  14. Rapaz, que postagem irada! Concordo com você, muitas vezes você quer matar o protagonista, mas o livro como um todo é bom de se ler, de se levar e recomendar. Suas atitudes e o rumo da ação e das cenas fazem o todo ser agradável quando o coleguinha é insuportável. Super te entendo com a Clary (ri muito, vai ser enjoada assim lá longe, já o Simon... e a coleção é foda!)! bjs!

    ResponderExcluir
  15. Oi. Concordo com você, quando não gosto dos personagens, não aprecio o livro. Se o personagem não for bem trabalhado, e é uma das coisas que mais observo numa obra, além dos diálogos e adjetivação, corro do livro.

    ResponderExcluir
  16. Oiiie
    eu gostei muito do livro em geral e dos protagonistas dos livros Cidades de Papel e Carta de amor aos mortos, senti que combinou com o enredo

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. dos citados só li carta de amor aos mortos e detestei o livro, achei a proposta boa, mas a escrita da autora
    bjos
    Pah
    Lendo e Escrevendo

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Não li nenhum dos livros citados, por isso não conheço os protagonistas, mas tenho minha própria lista, rs!
    Bjs

    ResponderExcluir