Primeiras impressões | Good Morning Call

12.8.16


 Antes de começar a falar sobre Good Morning Call eu preciso confessar que sempre tive um certo preconceito com grande parte do universo oriental. E isso acontecia justamente porque eu não conhecia quase nada da sua cultura ou costumes. Por isso quando eu decidi assistir a esse dorama eu tive um pouquinho de dificuldade para me acostumar com as atuações e alguns outros elementos. Mas relaxa, esse preconceito acaba de ser deletado.

 Para quem não sabe, dorama é o nome dado aos seriados e novelas orientais, sejam eles japoneses, coreanos, chineses ou de qualquer outro pais oriental. Apesar de terem um grande reconhecimento mundial, os doramas começaram a realmente fazer sucesso há poucos anos, e hoje já são adorados não só pelo oriente quanto pelo mundo todo.

 Good Morning Call foi a minha primeira experiencia com doramas e a cultura oriental em geral, e posso dizer que foi algo muito agradável. Como eu cito no título do post, estas são as minhas primeiras impressões do dorama, até porque até o momento só assisti a dois episódios, mas já adianto que assim que eu finalizar eu venho dar as minhas opiniões completas sobre essa história super fofa. 
 Nesse dorama de 17 episódios (todos disponíveis na Netflix) nós acompanharemos a história de Nao Yoshikawa, uma jovem do ensino médio que decide morar sozinha em um apartamento super barato próximo a sua escola. Nao só não contava com o fato de que no dia da sua tão esperada mudança ela descobrisse que foi vítima de um golpe, um golpe dado pelo corretor de imóveis, que alugou-a o apartamento por um preço inacreditável sem contar-lhe que na verdade o apartamento seria dividido com outra pessoa. Essa outra pessoa é Hisashi Uehara, um aluno de sua escola. Ou melhor, não um aluno, mas sim O aluno, já que ele é o garoto mais cobiçado e amado pelas meninas.

 Quando os dois percebem que não tem condições de alugar outro apartamento, e que definitivamente não irão voltar para suas casas, eles decidem morar junto. Porém além de Uehara ser um dos garotos mais importantes da escola, ele também é um dos mais arrogantes, e já de cara estabelece algumas regras que Nao deve seguir, como por exemplo fingir não conhece-lo na escola ou em qualquer lugar que não seja dentro do apartamento. A partir daí uma série de coisas acontecerá, coisas que aproximarão os dois e que ao mesmo tempo os farão brigar muito, já que são pessoas completamente diferentes e com diversos problemas pessoais.
 Como eu já disse, até o momento eu só assisti dois episódios. Mas eu estou gostando tanto que eu precisava falar sobre esse dorama mesmo assim, então foi por isso que eu decidi fazer um post de primeiras impressões.

 Bom, minhas primeiras impressões até agora não são muitas, mas já são o suficiente para me fazer estar amando assistir Good Morning Call. Um dos grandes fatores para eu estar gostando tanto é algo que eu não sei se é característico desse dorama, ou dos doramas em geral, que é esse humor bem diferente e original. Não é nem um tipo de humor negro, ou aquele humor mais satírico. Aqui nós encontramos aquele humor bem bestinha, aquele humor fofo que te deixa com o sorriso no rosto.

 Outra coisa que eu gosto bastante mas que no começo me incomodou, é como as palavras são pronunciadas. É muito engraçado e legal de se ver a tamanha entonação que eles dão para as palavras e para as expressões. Ah e é claro, eu me apaixonei completamente pela voz aguda da maioria das personagens femininas. Foi algo que me encheu a paciência no inicio mas que agora já é super essencial para mim.

 Os personagens no geral são super agradaveis de se acompanhar, e é praticamente impossível de não se apaixonar pelo Uehara e pela Nao, que por sinal é uma das personagens mais fofas, carismáticas e engraçadas que eu já conheci. Ah, e além deles dois, existem personagens secundárias que complementam muito bem a história, como por exemplo a melhor amiga de Nao, Marina.

 Como eu citei no inicio do post, antes desse contato com Good Morning Call eu tinha um tremendo preconceito com a cultura oriental, principalmente a parte visual, como séries doramas e filmes. Por isso, caso você também tenha esse preconceito, te aconselho que dê uma chance para os doramas, porém, assista-os de cabeça vazia. Você precisa ter a noção de que é uma cultura completamente diferente, e a forma de atuação e gravação também é completamente diferente, por isso pelo amor de Deus, não vá assistir a esse ou qualquer outro dorama esperando uma produção Hollywoodiana da vida porque definitivamente não será isso que você irá encontrar.

 Como ainda faltam 15 episódios para concluir o dorama, eu acho que irei finaliza-lo no final do mês (sim, eu demoro muito para assistir séries), por isso acredito que já no inicio do próximo mês eu venha contar para vocês o que eu achei de Good Morning Call como um todo. Até esse dia chegar, aproveita e corre lá na Netflix para assistir essa história super fofa, assim nós poderemos debater quando eu finalmente terminar de assistir.

Também poderá gostar de

0 comentários