O que dizer sobre a bienal do livro de São Paulo de 2016?

1.9.16

 Vigésima quarta edição da Bienal internacional do livro de São Paulo. Se eu estava ansioso para evento acontecer? Mas é claro que SIM!

 Há dois anos eu fui na bienal internacional do livro aqui em São Paulo e foi amor a primeira vista. E como naquela época eu não soube aproveitar tudo de incrível que esse evento nos oferece, é claro que eu fiquei ansioso para a próxima edição, onde eu definitivamente aproveitaria ao máximo. E felizmente eu posso dizer que dessa vez eu aproveitei tudo que tinha para aproveitar.

 Vamos começar o post já de cara falando sobre aquilo que mais interessa. Os preços. Sinceramente? Eu não achei nada de muito absurdo. Não sei se é porque eu já tinha uma base pela edição anterior, ou se foi porque eu já esperava, mas no geral não teve nada de absurdo lá dentro (além é claro, da alimentação).

 Para vocês terem uma noção dessa questão do preço, saibam que eu levei somente 70 reais e consegui voltar para casa com 3 livros, sendo eles: Confissões On-line, A lista negra e 1+1, a matemática do amor. O segredo para aproveitar ao máximo o seu dinheiro na bienal é não comprar nada impulsivamente. Eu sei que vai ser difícil, mas antes de comprar qualquer livro dê uma olhada em todo o pavilhão. Um exemplo disso é que eu vi um livro no estande da Leya por determinado preço, e minutos depois, quando eu fui na saraiva, eu encontrei o mesmo livro por 15 reais a menos. Por isso, estejam sempre comparando o preço no estande da editora e nas livrarias que estão lá dentro.
 Já que estamos falando de estandes, não posso deixar de citar os 2 mais lindos na minha opinião: o estande da Galera Record (que apesar de pequeno estava lindo) e o estande da Rocco, que sem dúvidas foi o mais lindo e movimentado do evento, já que eles construíram um lindo cenário de Harry Potter.

 Ah, outra coisa que eu gostaria de dizer a vocês: deem mais atenção aos autores nacionais. Eu sei que é difícil ver aquele livro que você quer a tanto tempo, por um preço super bacana e deixar de compra-lo para comprar um livro que você nem conhece, mas é sério, deem oportunidades para os autores nacionais. Assim como terá autores nacionais super famosos, também terá autores nacionais que você nunca ouviu falar na sua vida, e esse que é o bacana do evento. Eu mesmo já sai de casa com o pensamento de que na bienal eu só compraria livros nacionais (não cumpri a meta, mas ainda sim foi válida). Alguns autores menores estão todos os dias nos estandes de suas editoras, então aproveitem para conhecer os seus livros, pegar autógrafo e tirar várias fotos.

 Nessa edição eu acabei conhecendo autores muito simpáticos e talentosos, que foram os autores de 1+1 A matemática do amor, os fofíssimos Augusto e Vinicius. Além deles eu também conheci a Lavínia Rocha, que é um autora de apenas 19 anos e que publicou entre vários livros, Entre 3 mundos, uma fantasia que eu já estou doido para ler. Também conheci a linda e carismática Iris Figueiredo, que é a autora de Confissões on-line, outro livro que eu também não vejo a hora de ler. E para completar a lista, a autora que eu mais amei conhecer e que foi extremamente carinhosa e simpática, a Thalita Rebouças. SIM, EU CONHECI A THALITA (e ainda gravei snap com ela, desculpa)!!!
 Antes de terminar o post eu queria agradecer as minhas amigas Layla (que vocês já conhecem), Duda e Sara, por terem sido ótimas companhias. Também quero agradecer a minha avó Laura, por ter ido comigo na terça feira, que sem dúvidas foi o melhor dia de bienal para mim, e por último mas não menos importante a editora Arqueiro, que me deu um ingresso para um dia maravilhoso de bienal.

 Bom, antes de realmente terminar o post quero dar algumas dicas para aqueles que ainda vão comparecer ao evento. Primeira dica: O submarino não aceita dinheiro. Sim, dessa vez o submarino tem um estande lindo e com uns preços realmente muito bons, mas para conseguir comprar você deve estar com cartão de crédito ou débito em mãos e ser cadastrado no site. Segunda coisa: levem alimentos de casa. Se você estiver disposto a comer lá na bienal, tenha em bolso no mínimo 30 reais só para se alimentar, a não ser, é claro, que você só vá tomar um sorvete, que no caso é 7 reais (O PICOLÉ!).

 O que dizer sobre a bienal do livro de São Paulo de 2016? Foi um evento incrível! Bem mais organizado e em conta do que da última vez. Por isso, se você é de São Paulo e ainda não foi, corre que da tempo, afinal, o evento permanece até o dia 04/09.

 P.S.: Pretendo fazer um post falando só dos livros que eu comprei na bienal, por isso fiquem de olho caso vocês tenham se interessado por algum deles.

Também poderá gostar de

0 comentários