Resenha | O bosque subterrâneo

4.2.17

Autor (a): Colin Meloy | Ilustrador: Carson Ellis | Série: Crônicas de Wildwood #02 | Editora: Galera Record | Gênero: Fantasia, Infanto Juvenil | Páginas: 432 | Skoob

  Já fazia algum tempo desde a última vez em que eu havia lido um infanto juvenil, por isto quando eu vi O bosque subterrâneo, a primeira coisa que eu pensei foi: por que não? E cá entre nós, não poderia ter encontrado um infanto juvenil melhor para o momento.

 O bosque subterrâneo é a continuação de O bosque selvagem, mas você está enganado se acha que é preciso ler o primeiro para compreender a sequência. Posso me usar como exemplo neste caso, pois não li o primeiro livro até o momento, e mesmo assim consegui entender toda a trama que este segundo livro trás. Porém, eu particularmente recomendo que vocês leiam na ordem, o que pode evitar alguns momentos de confusão durante a leitura.

 Esse livro trás algo que eu adoro e que infelizmente não vejo em muitos livros: múltiplos protagonistas. Na verdade eu até arriscaria a dizer que não existe um protagonista central, é tudo um amontoado de gente que tem seu destaque durante todo o desenvolvimento da trama. Mas enfim, entre esses "protagonistas" nós temos Prue, a famosa Donzela da bicicleta, Curtis, o melhor amigo de Prue, e as irmãs Raquel e Elsie.

 Enquanto Prue precisa escapar de uma criatura que tem como missão matá-la, as irmãs Raquel e Elsie são deixadas em um "orfanato" por seus país enquanto os mesmos partem em uma jornada atrás de seu filho desaparecido, o próprio Curtis, que agora faz parte da família dos bandidos. Sim, é tudo muito confuso e complexo no início, porém com o desenvolver da história você passa a perceber que todos estão conectados de uma forma mágica.

 Em meio a tanta confusão, Prue começa a se comunicar com a natureza cada vez mais, e é a própria natureza que deixará em suas mãos a missão que pode salvar ou destruir todo o bosque: reanimar o verdadeiro herdeiro. Somente o verdadeiro herdeiro poderá combater o mal que se espalha cada vez mais rápido pelo bosque. Ah, quem é o verdadeiro herdeiro? Boa pergunta!
  Esse é um livro extremamente leve, intrigante e gostoso de se acompanhar. É como um velho conto de fadas do qual a gente não consegue enjoar e que deveria ser passado de geração para geração. O livro conta com várias cenas de ação, algo que não permite o livro ficar entediante. E como se não bastasse todas essas cenas empolgantes, elas ainda são vividas por personagens impossíveis de se odiar. Uma das grandes qualidades desse livro é a forma como o autor da espaço para cada personagem se desenvolver.

 Contudo, apesar de todos os pontos positivos o livro teve algo que não me agradou muito, que foi o próprio bosque subterrâneo. 90% da história se passa fora do bosque subterrâneo, e quando eles finalmente chegam lá o lugar e a história em si acabam se tornando tanto quanto decepcionantes. Sinto que o autor poderia ter trabalhado mais esta parte da história ao invés de a utilizar simplesmente para preencher uma lacuna.

 Mas agora, voltando para os elogios, se teve uma coisa que eu amei neste livro foram as ilustrações. Não conhecia o trabalho do Carson Ellis, mas confesso que já me tornei um grande admirador de sua arte. Nem sempre livros com ilustrações me agradam. Em alguns casos acredito que as ilustrações limitam demais a visão que nós teríamos dos personagens e do universo em si. Em O bosque subterrâneo isso também não deixa de acontecer, porém neste livro isto não me incomodou, até porque as ilustrações se encaixam tão bem com cada momento da história que fica impossível de não gostar.
 No geral, eu simplesmente adorei este livro e não vejo a hora de ler os demais que pelo o que eu pesquisei são mais dois. Colin Meloy conseguiu criar uma história fantástica com toda a mágica que amamos em infantos juvenis. E como se não bastasse o ótimo enredo, os incríveis personagens e a mágica narrativa, nós ainda temos as magníficas ilustrações do Carson, que merece todo o reconhecimento do mundo pelo seu trabalho. Livro super recomendado!

Também poderá gostar de

0 comentários